quarta-feira, março 23, 2011

FINALMENTE!

(imagem recolhida na internet)
.
Chegou ao fim o consulado "socretino"! FINALMENTE!
Depois de anos de mentiras, de promessas não cumpridas, de manipulação da justiça, das jogadas de compadrio, de censura, da mesquinhez e da vitimização, chegou a hora em que os políticos da oposição, conseguiram agir com alguma responsabilidade.
Do que foi este catástrofe "socretina" que se abateu sobre Portugal, nos últimos anos, basta que nos lembremos dos 150.000 postos de trabalho que seriam criados, quando o desemprego se situava em cerca de 5%, estando agora muito acima dos 11 %, apesar de todas as operações de cosmética e limpeza de ficheiros, ou ponderar sobre o endividamento do país que, no espaço de seis anos, mais do que duplicou, com juros acima dos 8%. Basta olhar para o esbanjamento dos políticos, para a degradação do ensino, para o aumento da insegurança, para o estado caótico da saúde, para as cada vez mais precárias condições de vida. Basta recordar a tal promessa do não aumento de impostos, que, afinal, desde 2005 não deixaram de aumentar todos os anos, quantas vezes mais do que uma vez por ano. Basta lembrar a instrumentalização da Justiça e a manipulação da comunicação social, transformada em aparelho de propaganda do partido do poder, salvo algumas raras e honrosas excepções. E tudo isso enfeitado, sempre, da "diarreia verbal" mentirosa e oportunista em que Sócrates e os seus lacaios são doutorados.
FINALMENTE, também, apesar da ignorância e grande surpresa do sr. Teixeira dos Santos, o tal que tão dogmáticamente se apressou a declarar que estaria solidário com o seu mentor, se este deixasse de (des)governar Portugal, (como se lhe restasse alguma outra alternativa), depois de seis anos a passear a sua habilidade na arte de roubar os portugueses, vai poder estagiar agora com o merceeiro do seu bairo e tentar aprender alguma coisa de Finanças, isto se a sua tacanha arrogância e comprovada imbecilidade lhe permitirem tal. E, sinceramente, JÁ VAI TARDE!
.
S Ó... C R E T I N O S
.
Quem quis que em Portugal houvesse caos,
Viveiro de egoísmo e não de amor?
Quem foi que permitiu que só os maus
Pudessem ter a lei a seu favor?
.
Quem foi que por sentir-se poderoso,
Fazendo tão depressa uma fortuna,
Cavou tanta pobreza e orgulhoso
Negou haver por cá essa lacuna?
.
Quem diz ser governante competente
E faz tantas promessas de milhões,
Mas anda rodeado de ladrões,
.
Ou não sabe o que diz, por isso mente,
Ou faz de nós pensantes pequeninos
Que quer como apoiantes «só cretinos».
.
Vítor Cintra
No livro: PASSAGENS

3 Comentários::

At 25/3/11 9:56 da tarde, Blogger Maria da Luz Borges said...

Tardíssimo! mas eu ainda não estou convencida de que foram mesmo... Vai haver eleições e os tais 30% de loucos, oportunistas e preguiçosos, que vivem à custa dos que trabalham, ainda são capazes de votar neles... Só de pensar nisso fico cheia de arrepios! Que medo!!!

 
At 25/3/11 11:38 da tarde, Blogger carlos pereira said...

Meu caro POETA Vítor Cintra;
Magnificente texto, de uma leitura extremamente lúcida da situação catastrófica do país levada a cabo pelos arautos da democracia e do "bem amado" povo.
Quanto ao soneto, é excelente, na linha da grande qualidade a que nos habituou.
Um forte abraço.

 
At 26/3/11 10:27 da manhã, Blogger Chellot said...

Faço de minhas as suas palavras. O poema tão bem escrito cabe como uma luva aqui no Brasil.
Beijos doces.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home