domingo, junho 18, 2006

MEDICINA - O paradigma do ensino elitista


ALUNOS DE MEDICINA TROCAM ENSINO PORTUGUES POR ESPANHOL

Segundo notícia divulgada no Diário Digital:
A procura dos cursos de Medicina em Espanha duplicou este ano, com a maioria dos alunos portugueses a desistir de tentar entrar nas universidades nacionais e a optar por esperar por uma vaga num dos 28 estabelecimentos do país vizinho.

A quem convém esta situação?... Porque têm os nossos filhos que ir para Espanha para poderem formar-se?... Porque não há vagas nas nossas faculdades de medicina?... Porque continuam as nossas universidades a promover cursos sem utilidade, sem saídas profissionais, ou desfazados da realidade, em vez de aumentarem as vagas nos cursos em que o país tem carências tão grandes, como no caso da medicina?...

Já algum político, desses iluminados que por aí pululam, fez contas aos custos que representa para o país (não apenas no imediato, mas a médio/longo prazo) este inconcebível desiquilíbrio entre o ensino e a realidade?

POLÍTICOS

Vorazes, como porcas sanguessugas,
Em nós parasitando o tempo todo,
Prosperam, como aquelas que, no lodo,
Atacam animais durante as fugas.

Perdidos no ruir dos seus valores,
Em busca de uma nova identidade,
Arrastam, sem angústia, mas maldade,
As chagas que, no povo, são maiores.

Importa lá que a gente tenha sede
De paz e de concórdia, cada dia,
E queira ver o fim desta agonia?...

Como cartaz colado na parede,
Que deixa a frontaria emporcalhada,
A nossa aspiração não vale nada.

Vítor Cintra
No livro: RECADOS

9 Comentários::

At 18/6/06 4:29 da manhã, Anonymous sentada no sofá blue said...

Pois é, Vitor, aqui a situação não é tão diferente. Nossas faculdades( de um modo geral) usam de técnicas de pesquisa sofisticadas que acabam aumentando a distância entre o ensino e a realidade. Aí buscam opções na Espanha.Aqui começou a corrida ao Uruguai e à Argentina.Realidades distintas.Uma solução imediata que apenas empurra o problema com a "barriga."
Bom final de semana.

 
At 18/6/06 3:34 da tarde, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 18/6/06 3:36 da tarde, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Viva Victor:

Assim é de facto.

1)Mas e o que acha o Victor dessa compra absurda de submarinos que vamos ter que andar, nós e os nossos filhos, a pagar?

2) e de algumas patentes de oficiais superiores das forças armadas que nada fazem para além de andarem somente a "comer" há custa do erário público?

3) e do TGV? Esse autêntico "monstro" que irá ser um fiasco pois nunca irá em boa verdade substituir a linha actual e irá criar um "buraco" financeiro sem precedente?

4) por dúvidas nem falo na OTA.

Veja só, nestes chamados "investimentos", os montantes envolvidos e depois diga porque senão investe na educação.
Universidades com equipamento absoleto, algumas com falta de manutenção confrangedora, etc.

É que na educação não circula tanto dinheiro por "fora".

Um abraço,

 
At 18/6/06 8:01 da tarde, Blogger Um Poema said...

Pois é José Alberto. Tem razão em tudo o que aponta como exemplos de "governanço" à custa do erário público.
Fale da Ota também, e não tenha dúvidas. Não aí. Porque esse é negócio que já tem antecedentes.
Lembre-se da história de Macau e do julgamento de corruptores, em que os corruptos simplesmente "não são citados".
Essa é uma questão que ainda hoje me surpreende. Como é que pode haver corruptores sem corruptos?
Obrigado pelas suas achegas.
Um abraço

 
At 18/6/06 8:31 da tarde, Anonymous Hilda said...

Vitor ... tudo é triste, o fato que denúncia, a indignação da tua alma sensível, os comentários publicados e teu poema.

Nós, brasileiros, nos indignamos mais é com a educação de base ... será que em Portugal, pelo menos essa é melhor? Nos cursos universitários temos boas Universidades Públicas, mas são frequentadas por alunos da classe média alta, ou alta mesmo. Os pobres quando fazem o ensino médio público, não estão preparados para para cursarem esses cursos devido à educação ineficiente que tiveram. Pois, como deve ser por aí, o dinheiro que deveria ser empregado na educação é levado pelos políticos corruptos e seus apadrinhados.

Há tempos concluí que aos governos não interessa um povo culto ... quanto menos estudado for, melhor para o objetivo deles: roubar!

 
At 18/6/06 9:55 da tarde, Anonymous soslayo said...

Vítor Cintra:

Pois se em Portugal exige-se médias superiores que na Espanha para o ingresso na Universidade e em medicina, é natural que os nossos jovens procurem Espanha para ingressar em tal curso. E não me consta que os médicos espanhóis tenham menos qualidade que os Portugueses. Este, é o País das grandezas e iluminados. Pobre País. Um abraço.

 
At 19/6/06 12:20 da manhã, Blogger Manel do Montado said...

O grande problema situa-se ao nível do ensino base. Há casos de alunos que obtêm uma média de secundário de 19 valores e mais e que depois nos exames das provas de ingresso baixam a média mas entram. Por outro lado, outros que estudam em estabelecimentos com critérios de avaliação mais apertados mas que nas mesmas provas tiram excelentes notas, acabam por não entrar porque a dita média os afasta por centésimas. Isto quer dizer que alunos que fizeram provas em igualdade de circunstâncias com outros alunos (provas de ingresso) acabam por ficar “de fora”, embora tenham tido melhor nota numa prova igual para todos.
O sistema de ensino está errado e a classe médica têm a explicação para que tantos alunos tenham de ir para fora estudar, só que não a explicam.
Fico por aqui.

 
At 19/6/06 2:48 da manhã, Anonymous sentada no sofá blue said...

Pois é, Vitor. Uma vitória sem grandes méritos, mas valeu a classificação.Mais sofrimento por vem por aí. Apesar de eu não ser uma apreciadora do futebol, o patriotismo fala mais alto.
Bom início de semana, amigo.
Deus te guarde.

 
At 20/6/06 1:30 da manhã, Blogger poca said...

se fosse possível os professores fazerem o mesmo, eu também trocava!!!
era limpinho que ia p espanha dar aulas!

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home