domingo, agosto 03, 2008

AÇORES - Ilhas de sonho

Não restam dúvidas de que este "Estatuto dos Açores" que o "chuchalismo" pretendia fazer passar, mesmo à custa de atropelo (oito vezes, no dizer do T.C.) do texto constitucional, terá que considerar-se, no mínimo, uma aberração.
A intenção que terá ditado tal, nunca será assumida, mas isso não descarta a hipótese de que se visasse também, a eternização dos "chuchalistas" agarrados à teta regional. Basta ter em conta as reacções que o veto presidencial desencadeou, para se admitir como muito provável tal possibilidade. Nem isso, aliás, me espanta.
O que me espanta é a desfaçatez com que os políticos, continuam a vir a terreiro esgrimir, quase sempre com conversa "para boi dormir", argumentos, qual lengalenga de "prima dona" ofendida, quando alguém se atreve a tentar mexer-lhes na quintinha.
Será que essa disputa de canteiros, nesta "hortinha" à beira mar plantada, é assunto que - mais do que a pobreza que atinge cada dia mais portugueses, a falta de cuidados de saúde, que se espalha pelo país, a degradação da segurança das pessoas e bens - justifique todo o alarido a que assistimos?
.
P A R Á B O L A
.
É assim que se resume,
Duma forma adequada,
O vilão que muito assume
Mas que pouco faz, ou nada:
.
"Presunção e água benta,
Cada qual toma a que quer!"
Diz o povo, que sustenta
Em 'ditado' o seu saber.
.
E se, quando o diz, resume
A distância da vaidade
Às razões da humildade,
.
No dizer, também assume
O sentir de muita gente,
Que não diz tudo o que sente.
.
Vítor Cintra
No livro: ECOS

4 Comentários::

At 5/8/08 10:07 da manhã, Blogger Isabel-F. said...

concordo contigo e uma vez mais nos apresentas um poema excelente e que reflecte bem o tema em questão.


bjs

 
At 6/8/08 1:40 da manhã, Blogger Vera said...

Querido Amigo, concordo contigo, de cima a baixo...
O poema/soneto com a tua qualidade de sempre!

Beijinhos

 
At 7/8/08 2:17 da manhã, Blogger tulipa said...

OLÁ VITOR

Aqui deixo umas palavras escritas por mim, embalada pela paixão:

Foi em Junho que descobri
O quanto era bom
estar na tua companhia
Sentir o teu carinho
Aquele lanche jamais imaginado
Cerejas numa taça d'água gelada
oferecidas em bandeja de sensualidade, tuas mãos
os meus lábios,
o toque excitava-me.
E deixa-me dizer-te
Foste único, foste especial.
Partiste sem avisar
Na tua companhia descobri
o sabor das ondas nos teus olhos
Aquele mar que nos espreitava
Cúmplice nos segredava
"Sejam felizes
O vosso amor é lindo".
Sonho porque te quero sonhar.

Posso deixar-lhe um abraço bem apertadinho, posso?

Nota:espero que não fique constrangido com as palavras, já recebi palavras caluniosas de alguém que achou mal...

 
At 12/8/08 1:34 da manhã, Blogger Odele Souza said...

Esta foto que acompanha teu texto igualmente rico, está linda.

Saudades daqui.

Um abraço.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home