terça-feira, outubro 27, 2009

JUSTIÇA - O direito à irresponsabilidade?

(imagem recolhida na internet)
.
Continua a ser angustiante o destino da pequena Alexandra, condenada ao exílio, por um mal amanhado projecto de juiz, que impunemente pontifica em Guimarães.
É chocante constatar a total irresponsabilidade com que a incompetência é protegida, neste país onde o direito é um mito e a justiça se tornou ficção, e parece ter, como única preocupação a protecção dos trastes, nem que para tanto, com o maior despudor, tenha que deixar cair a máscara.
Basta ver o tratamento que, por iniciativa de três conselheiros nomeados pelo P.S., foi dado pelo Conselho Superior de Magistratura ao Meretíssimo JUIZ, Dr. Rui Teixeira - homem correcto, JUIZ competente e incorruptível - ao congelar-lhe a avaliação (decisão que mereceu o repúdio da Associação Sindical de Juízes), além das represálias económicas exercidas, pelo poder político sobre o magistrado, e compará-la com a indiferença pelo destino da menina, resultante duma decisão incompetente, autêntico aborto jurídico, de tal modo incompreensível que, para o justificar, o seu irresponsável mentor chega ao extremo da mentira, para se ter a noção da degradação a que a justiça chegou e se perceber o seu engajamento ao poder político.
Não surpreende, assim, que a irresponsabilidade se acoite atrás dum cartão partidário como forma de garantir a impunidade.
.
S I N T O M A S
.
No teu rosto mágoa, sonho,
Alegria, dor, paixão,
O encanto, ou o medonho
Vazio no coração,
Um sorriso mais tristonho,
Confessando solidão,
São sintomas de que a vida,
Sendo intensa, é sofrida.
.
Ficarei sempre a teu lado,
Mesmo que isso seja errado.
.
Vítor Cintra
.
No livro: Entre o Longe e o Distante

6 Comentários::

At 27/10/09 11:29 da tarde, Blogger Xavier Zarco said...

Camarada Vítor Cintra,
Pois é, assim se faz quando é o supremo interesse da criança que está em causa. O pior é quando não se acautela o dever de vigilância por parte do Estado. É que uma coisa é a criança ficar dentro do território nacional por um tempo considerado razoável e outra a que ocorreu. Que se tenha como primeira possibilidade a família biológica, nada tenho a opor, mas que se salvaguarde a necessária integração e interacção emocional.
Um abraço
Xavier Zarco

 
At 28/10/09 12:19 da manhã, Blogger Ana Martins said...

Caro Vítor,
ainda hoje vimos nos noticiários a pequenina Alexandra e a forma como a mãe biológica a trata, repugnante mesmo!

Não consigo entender como esse Senhor Juiz consegue dormir em paz e dizer que nada lhe pesa na consciência. Provavelmente não pesa mesmo, nem a deve ter sequer!

Beijinhos,
Ana Martins

 
At 28/10/09 8:53 da manhã, Blogger Teresa Durães said...

tenho pena que não considerem os actos que stão a marcar esta rapariga

 
At 28/10/09 11:01 da tarde, Blogger Maria da Luz Borges said...

Não há nada a fazer... Este país perdeu o norte e o bom senso também. Ah, como eu queria conseguir ter força para lhes virar a mesa, e de preferência em cima do dedo grande do pé!...
Ainda não foi desta que os deitámos do poleiro abaixo e faz tanta falta um galo capão na capoeira. O que lá está agora é muito voltado para o cor de rosa e canta com uma voz muito afemeninada. Já não o posso ouvir. Quando será que voltamos a ter um galo a sério?

 
At 2/11/09 5:37 da tarde, Blogger Vera said...

Mais um caso de injustiça... Infelizmente o mundo anda assim. Espero que o futuro se apresente mais risonho, para bem dos nossos filhos, para bem de todos!

Beijo

 
At 4/11/09 12:17 da manhã, Blogger Ana Martins said...

Olá,
hoje venho dizer-lhe que o seu blogue foi contemplado com o "Selo Blog Vip". Quando puder passe lá a levanta-lo.

Beijinhos,
Ana Martins

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home