segunda-feira, julho 31, 2006

ELEFANTE DUNDUM - Um pedaço de História



ESTÁ NAS BANCAS UM NOVO LIVRO.

Intitulado "ELEFANTE DUNDUM", da autoria de João Luiz Mendes Paulo, este livro é um verdadeiro documento histórico.


O autor é antigo oficial da arma de cavalaria, daqueles oficiais a quem os combatentes chamavam "ratos do mato", porque ao invés de ficarem aquartelados atrás de secretárias, comandavam homens em operações.
Tendo servido o país em locais tão distintos como India, Moçambique, Angola e Guiné, o seu testemunho leva-nos a uma realidade bem diferente das atoardas gizadas e propaladas, por aleivosas verborreias de quem tem no seu passado algo a justificar, ou esconder.

O livro é vendido com um DVD, cujas imagens o complementam. Filmadas na época e nos locais onde o autor serviu, constituem, por si só, testemunho importante e esclarecedor.



CONSCIÊNCIA

Quis Deus que fosse meu o privilégio
De ser, por nascimento português,
Sem nunca cometer o sacrilégio
De ter vergonha disso, alguma vez.

Quis Deus que, noutro tempo, noutra vida,
Me fosse dada a honra de servir
O meu país, embora, de seguida
O visse, torpemente, denegrir.

Quis Deus que visse o muito que foi feito
Por gente tão humilde como eu
Que, em sonhos de aventura, tanto deu.

Embora muito houvesse de imperfeito
Não foi por egoísmo, ou por escusa,
Que não o fez melhor a gente lusa.

Vítor Cintra
No livro: ENCRUZILHADA

16 Comentários::

At 31/7/06 1:40 da tarde, Blogger tb said...

É sempre uam festa para os sentidos vir até aqui. Por isso continuo a visitar-te.
Abraço

 
At 31/7/06 6:58 da tarde, Blogger Sophie said...

Eu tenho um orgulho enorme, em ser portuguesa.
Adoro ler as poesias do Vitor, sempre tão certeiro. As suas poesias possuem a capacidade de em poucos minutos cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos. Elas marcam um momento que será eternamente revivido por todos aqueles que as lerem.
Um grande beijinho
Sophie

 
At 31/7/06 7:36 da tarde, Blogger soslayo said...

Vítor Cintra:

Deve ser interessante esse livro... A história contada por quem a viveu! Amigo o soneto está excelente, aliás como sempre! Um abraço.

 
At 31/7/06 7:50 da tarde, Anonymous neide said...

olá muito lindo os poemas, parabens pelo destaque bem merecido adoro escrever tb.uma otima semana.

 
At 31/7/06 8:30 da tarde, Anonymous Hilda said...

A consciência tranquila, certeza do dever cumprido, mais o amor pátrio é o que diz o poema e por isso emociona ...

 
At 31/7/06 9:35 da tarde, Blogger Luna said...

Muito bonito o poema,nele esta transcrito o povo que somos
beijos

 
At 1/8/06 12:03 da manhã, Blogger Sophie said...

Querido Vítor:
Deixei um comentário para si no meu post "Coisas Bonitas".
Um beijinho

 
At 1/8/06 1:31 da manhã, Anonymous Helio Águia said...

Ola Victor, passando pra lhe desejar uma ótima semana...adorei o post muito lindo...
Saudações do Águia

 
At 1/8/06 2:25 da tarde, Blogger Sophie said...

Vítor:
Obrigada pelas suas palavras amigas. Se algum dia vier a Aveiro, avise.
Um beijo enorme.
Ana

 
At 1/8/06 2:57 da tarde, Blogger Manel do Montado said...

Será mais um livro do Matos Gomes, oficial de Cavalaria e Comando?
Se sim, tive o imenso privilégio de servir sobre as suas ordens. Para além de um militar de perfil sério, nada pedante, era um líder que facilmente se seguia. Se não é, adquirirei na mesma essa obra, porque na minha família já vamos em quatro gerações de militares e nunca houve arrependimento ou condenação.
O poema, esse, está impregnado daquilo que só um verdadeiro patriota pode sentir quando serve o seu país, independentemente de objectivos políticos obscuros ou não, serve porque é esse o seu dever e a ele não se escusa com pressupostos de objecção de consciência política ou outros.
Quem alguma vez jurou dar a vida em defesa da pátria sabia de antemão, mesmo sem conhecer, que as palavras do Padre António Vieira eram de uma certeza histórica repetida secularmente, apesar de se dirigirem a governantes e em sentido figurado ao solo pátrio.
“Se serviste a pátria e ela te foi ingrata
Tu fizeste o que devias, ela o que costuma!”

Um abraço.

 
At 2/8/06 8:56 da manhã, Blogger Sara Fuentes said...

Gosto de te visitar, pois estou sempre aprendendo sobre a terra dos meus antepassados. Meu avô era de Figueira da Foz (Alhadas de Cima) e nunca tive a chance de conhecer essa terra maravilhosa. Mas um dia ainda vou !
Parabéns!!!!!!!!!!!

 
At 2/8/06 1:47 da tarde, Blogger Águas da Vida said...

Excelente poema!
Obrigada pela sua gentil visita e parabéns pelo seu trabalho, adorei o blog.
Big Kiss

 
At 2/8/06 3:45 da tarde, Blogger Águas da Vida said...

ola querido !
Vim pedir seu votinho para o aguas da vida ser the best se achas que merece basta clicar aqui nesse link que o voto sera computado automaticamente:
http://www.enquetes.com.br/enque...35083&id=673962


Big Kiss

 
At 2/8/06 6:41 da tarde, Blogger marakoka said...

obga pela visita ao marakoka....
vim cá ter e deliciei-me com o blog
gostei de ler.te
voltarei
jocas maradas

 
At 19/7/08 11:38 da tarde, Anonymous MARIA said...

GOSTO MUITO DE VISITAR ESTE BLOG,E DIZER A TODAS AS PESSOAS QUE AINDA NÃO LERAM O LIVRO DO ELEFANTE DUNDUN,QUE O FAÇAM SE POSÍVEL,POIS EU JÁ O FIZ,POR INTERMÉDIO DE MEU PAI,O "903" DA CAVALARIA 570,ESSA GRANDE FAMILIA,E DEVO ACRESCENTAR QUE É ALGO DE MARAVILHOSO, SÓ É DE LAMENTAR QUE O SEU AUTOR JÁ NÃO SE ENCONTRE ENTRE NÓS...ESSE GRANDE SENHOR QUE TIVE O PRAZER DE CONHECER.AQUI DEIXO UM ABRAÇO DE MEU PAI PARA O SR VICTOR.

 
At 25/11/08 1:25 da tarde, Blogger luis said...

Se há coisas que não me esquece passadas no Mabú,foi quando a viactura em que seguias foi pela ribanceira abaixo,e só paraste contra uma árvore,para vossa sorte.E mais não digo...Até breve
Luis

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home