domingo, outubro 01, 2006

DOURO - Terras do xisto

DOURO - PAISAGEM PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE
Completaram-se, em Setembro, os 250 anos de classificação da Região Demarcada do Vinho do Porto. É a mais antiga região demarcada, de vinhos, do mundo. A Unesco classificou, em 2001, 13 concelhos do Douro vinhateiro como Património Mundial da Humanidade.
A paisagem de vinhedos descendo socalcos, escavados em terras de xisto, capazes de produzirem, por conjugação de factores especiais únicos - terra agreste, clima de extremos, vontade férrea num trabalho árduo das gentes - um vinho único, deslumbra todos os que têm o privilégio de a conhecer e alcançou, merecidamente, esse reconhecimento da Unesco.
Esta nota, é uma homenagem às gentes do Douro que, no passado souberam construir e no presente sabem conservar e valorizar, tão fabuloso e único património.

B U C Ó L I C O

Veio o sol!... A madrugada
Recolheu-se envergonhada
Do seu lento madrugar.
Pintalgada com magia
Surge a cor do novo dia,
Feito vida a despertar.

Passam corvos e os grasnidos,
Que nos chegam aos ouvidos,
São protestos de viúva;
Viuvez que a veste escura,
Simbolismo de amargura,
Acentua quando há chuva.

Cantam melros nos silvados,
Académicos alados
Do saber da Natureza;
Mesmo à beira dos caminhos

Há pardais, fazendo ninhos
Com afã, arte, beleza.

Corre Março, mas Abril
Vai chegar, com "águas mil"
E com campos verdejantes;
É a vida que acontece,

Toda ela feita prece,
Hoje e sempre, como dantes.

Vítor Cintra
No livro: MEMÓRIAS

13 Comentários::

At 1/10/06 11:12 da tarde, Anonymous soslayo said...

Vítor Cintra - Um poema:

Belo poema e texto em homenagem a uma região que para além de ser considerada património mundial da humanidade, é antes de tudo, um pedaço do nosso chão que adoramos e idolatramos pela beleza natural, que nos transmitem aos olhos pousados e admirados. Um abraço.

 
At 2/10/06 2:57 da manhã, Anonymous Hilda said...

João Vitor, vocês portugueses, tem toda razão de ufanismo por esse belo tesouro que tão bem conservaram.

Bem fez a Unesco em classificar como Patrimônio Mundial da Humanidade, até me sinto meio proprietária, agora preciso conhecê-la, viver seu clima, beber seu vinho...

Bucólico mesmo ... e o poema, belo!

 
At 2/10/06 9:06 da manhã, Blogger António Lisboa Gonçalves said...

São estes "tesouros" nacionais que importam conservar e transformar em fontes de riqueza e prestígio, de modo a afirmar a nossa qualidade em sectores espacíficos.

Obrigado pela visita e comentários no meu blog, onde será sempre bem vindo!
Um abraço.

 
At 2/10/06 11:03 da manhã, Anonymous Secreta said...

O sempre lindissimo Douro...
Beijito

 
At 2/10/06 3:23 da tarde, Blogger Poesia Portuguesa said...

Este meu Douro, que adoro...
Lindo este momento, em homenagem a uma das mais belas zonas de Portugal.
Grata pela partilha.
Um abraço ;)

 
At 3/10/06 2:17 da tarde, Blogger Valéria said...

Querido Vitor ,
Mais um lugar belissimo desse país encantador chamado Portugal , em meio tb a um poema de uma sensibilidade imensa q lhe peculiar ...
grande beijo no coração

 
At 3/10/06 6:10 da tarde, Blogger Papoila said...

Olá Vitor Cintra:
Hoje um texto dedicado ao "meu" saudoso Douro... "Meu" pelos Setembros passados em Tabuadelo (Quinta do Souto) e por aí ter (já lá vão uns aninhos... lol) relizado meu serviço médico à periferia.
Lindo poema!
Beijo

 
At 3/10/06 8:30 da tarde, Blogger Luna said...

A beleza do norte e do minho, dá uma paz, é isso que gosto do norte a sua beleza natural, e tu basta-te pensar em algo que logo o teu dom poetico sai.~
beijinhos

 
At 3/10/06 10:50 da tarde, Blogger mixtu said...

douro...
terra que não conheço bem...
mas é uma terra bonita...

gosto do rural...

abraços europeus

 
At 4/10/06 11:44 da manhã, Blogger Fatima Gama said...

É mesmo uma bela paissagem esta do Rio Douro e obrigada por nos ter dado a oportunidade de contemplá-la, bjs e um bom dia!

 
At 9/10/06 4:37 da tarde, Anonymous tb said...

Como amo o Douro, o rio e suas paisagens, suas gentes e encantos...
Assim como os teus poemas.
Abraços

 
At 10/10/06 5:01 da tarde, Blogger DIGNIDADE said...

Olá! Obrigada pelas memórias, também sensitivas (cheiro e paladar), que o teu poema fez despertar em mim. O Douro é lindo e as suas gentes têm uma "fibra" inigualável. Os frutos que a terra e o trabalho destas gentes produzem são únicos, por isso o reconhecimento da UNESCO. Em particular aprecio a paisagem e o vinho de mesa...tinto ("Bafarela", passo a publicidade).
Um bj!

 
At 4/6/10 6:15 da tarde, Blogger Teresa (Tera Sá) said...

Descobri este poema e fiz-me cativa... bela arte de palavras, que aqui expõe! Arte e saber dizer, das coisas e dos factos. Será um gosto voltar... de vez em quando.

Teresa

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home