domingo, agosto 27, 2006

QUINTA DA REGALEIRA - Um monumento na Serra da Lua



"EDIFÍCIOS EM ESTILO NEO-MANUELINO E RENASCENTISTA NO CONTEXTO DE UM JARDIM EDÉNICO"


Assim se define a Quinta da Regaleira, na pagela de apresentação turística, editada pela Câmara Municipal de Sintra, que também diz:
"A Quinta da Regaleira constitui um dos mais surpreendentes monumentos da Serra de Sintra. Situada no termo do centro histórico da Vila, foi construída entre 1904 e 1910, no derradeiro período da monarquia. Os domínios românticos outrora pertencentes à Viscondessa da Regaleira, foram adquiridos pelo Dr. António Augusto Carvalho Monteiro (1848-1920) para fundar o seu lugar de eleição. Detentor de uma fortuna prodigiosa, que lhe valeu a alcunha de Monteiro dos Milhões, associou ao seu singular projecto de arquitectura e paisagem o génio criativo do arquiteco e cenógrafo italiano Luigi Manini (1848-1936, bem como a mestria dos escultores, canteiros e entalhadores que com este haviam trabalhado no Palace Hotel do Buçaco.
(...)
O jardim, representação do microcosmo, é revelado pela sucessão de lugares imbuídos de magia e mistério. O paraíso é materializado em coexistência com um inferius - um dantesco mundo suberrâneo - ao qual o neófito sera conduzido pelo fio de Ariadne da iniciação.
(...)"


SINTRA

Sintra, vila pitoresca,
Calma, doce, verde, linda,
Onde, filhas da floresta,
Em regatos de água fresca,
Brincam ninfas, hoje ainda.

Ninfas essas que os poetas
Já cantaram, em poemas,
Às amantes mais secretas.
- Rimas breves, indiscretas,
De paixões pouco serenas. -

Sintra, serra que é da lua,
Onde em cada madrugada,
Só, dançando pela rua,
- Diz-nos a lenda, que nua -
Anda uma moira encantada.

Há mistério nessa lenda.
Um mistério que perdura
E que Sintra não desvenda.
Sem que alguém o compreenda,
Só a vê quem a procura.


Vítor Cintra

No livro: MEMÓRIAS

18 Comentários::

At 27/8/06 5:29 da tarde, Blogger Luna said...

Sintra é maravilhosa, e tu vais presenteando-nos,e aos poucos levantando o véu de toda essa magia
beijinhos

 
At 27/8/06 7:40 da tarde, Blogger Sara Fuentes said...

Hoje vim fazer uma visitinha que já está atrasada. Como falei com Betty, ando sumida da net. Desilusão? medo do vício? Não sei, só sei que procuro me ocupar na minha vida real. Lotada de trabalho e outras coisinhas que procuro pra fazer. Mas venho dar um alô, ok?
beijos

 
At 27/8/06 8:01 da tarde, Blogger Saramar said...

Que maravilha, Poeta!
Estes últimos versos são tão lindos que já os decorei de tanto ler e reler.

Beijos e boa semana para você.
P.S. vou colocar seu link lá no Falares.

 
At 27/8/06 9:10 da tarde, Blogger O Sibarita said...

Que legal saber mais alguma coisa desse belo lugar chamado Sintra. Sim, embora, eu não conheça, mas, aqui em minha terra Salvador/Bahia/Brasil sempre ouvimos os Portuguêses que migraram para cá falando da beleza de Sintra. É isso aí...

O Sibarita

 
At 27/8/06 11:27 da tarde, Anonymous HIlda said...

Fotografia linda, texto contando trecho de história e o poema, ah ... o poema ... preciso conhecer Sintra!

 
At 28/8/06 12:09 da manhã, Anonymous Gazeta dos Blogueiros said...

A gazeta dos blogueiros vem convidar para que leia a coluna na segunda feira dia 28/08, de Daniele Vasques em que o tema será o Movimento Modernista.
Equipe GB.
www.blogueiros.com

 
At 28/8/06 12:25 da manhã, Blogger VaL said...

Sua Poesia faz o "Misterio" se tornar mais interessante ainda ...
"Há mistério nessa lenda...Um mistério que perdura... !
Lindo !!!
Beijos Vitor ...

 
At 28/8/06 2:03 da tarde, Blogger Papoila said...

Que maravilha de poema com toda a magia encantada de Sintra!
Belo!
Beijo

 
At 28/8/06 9:57 da tarde, Blogger Su@vissima said...

Ai Sintra... emana um perfume contagiante.

Bonito poema...parabéns!

Beijo daqui.

 
At 28/8/06 10:51 da tarde, Blogger DIGNIDADE said...

Olá!
Sintra é...Sintra! As suas belezas naturais fundem-se com as obras-primas do homem, envoltas em brumas que adensam o mistério e fazem reviver as lendas...
Mas Sintra foi cantada por todos os que a conheceram e tiveram a arte:como é o teu caso!
Um bj!
Vou tentar ir à tua página da fotografia, fazer uma ou outra legenda...

 
At 29/8/06 1:24 da tarde, Blogger Daniele said...

Vítor,
Eu vim lhe agradecer por estar comigo na gazeta, por comentar.
E quero lhe fazer um outro convite para que conheça o meu blog.
http://mulheresdepreto.blogspot.com

Será uma honra para mim, e espero-o nas segundas feiras também.
Quanto ao seu blog é um deleite na sua fina escrita.
Parabéns,
Beijos,
Daniele.

 
At 29/8/06 11:45 da tarde, Blogger Sophie said...

Adoro Sintra, e a magia com que tu a descreves ainda a torna mais bela... a tua escrita traz paz à nossa mente.
Beijinhos.

 
At 29/8/06 11:54 da tarde, Blogger Saramar said...

Olá, Poeta.
Não sei o que acontece que quando coloco seu link (lindo) no meu blog, este apaga todo o resto.
Devo estar fazendo alguma bobagem.
Irei tantar novamente.
beijos

 
At 30/8/06 8:23 da manhã, Anonymous tb said...

Não há dúvida que o poeta tem uma musa delicada e refinadamente bela e por isso nos deleita sempre com os seus poemas.
(Não tenho conseguido entrar nem deixar comentários)
Beijinhos

 
At 30/8/06 12:52 da tarde, Blogger CAntonio said...

Caro Amigo,


Como sou um "xereta" inverterado, andei dando uma espiadela no sítio da cidade.

O Palácio Nacional me chamou a atenção.

Uma construção intrigante pelos estilos. De uma beleza impar.

Nada como ver de perto, com os olhos da alma a sentir vibrações que certamente ficam.

Um dia quem sabe....eu chego lá!!!


Saudações,

 
At 30/8/06 2:56 da tarde, Blogger VaL said...

Cada vez que aqui venho, saio com uma certeza, preciso urgentemente conhecer Sintra !
Beijos no coração.

 
At 30/8/06 11:08 da tarde, Blogger Teresa Durães said...

boa noite

Fui duas vezes à Quinta da Regaleira. Quando abriu e dois anos depois.

Vale a pena. Da primeira vez a visita demorou 2h30 em vez da habitual 1h30.

Sempre que posso passo na Serra.
Gosto muito da zona da Peninha. Se não conheço a Serra quase toda, conheço a maioria.

Fala em segredos. Experimente passar nas noites de Lua Cheia em certos locais e via mais do que pensa eheheheh

Um correpio de gente de cá para lá.. e velas... e incenso e quando não são outras coisas...

Enfim. Pena é que não apanhem as motas e as motas de 4 rodas (não me lembro do nome) que destroem a mata.

Boa noite

 
At 31/8/06 1:01 da manhã, Blogger A Cor do Mar said...

Sintra, uma beleza cheia de mistério...
Beijinho*

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home