sábado, setembro 23, 2006

ILHAS DESERTAS E SELVAGENS - Reservas naturais

ILHAS DESERTAS

A Reserva Natural das Ilhas Desertas é constituída por três ilhas de natureza vulcânica. Deserta Grande, Bugio e Ilhéu Chão.
Trata-se de uma importante Reserva para a conservação do lobo marinho. Mas a sua importância é também relevante para aves marinhas, como a "freira do bugio" a a "alma negra", esta última constituindo mesmo a maior colónia da espécie em todo o mundo.


ILHAS SELVAGENS

A Reserva Natural das Ilhas Selvagens é constituída por três pequenas ilhas de origem vulcânica. Selvagem Grande, Selvagem Pequena e Ilhéu de Fora.
Sendo, no arquipélago da Madeira, a primeira área classificada, foi uma das primeiras Reservas Naturais de Portugal e a única a receber o Diploma Europeu do Conselho da Europa.
Esta reserva é 'habitat' de plantas únicas no Mundo, em ecossistemas inalterados. Alberga ainda uma comunidade de aves marinhas, como o "calcamar", a "alma negra", o "roque de castro", o "pintaínho", além da "cagarra" que, aqui, tem a maior colónia do mundo.
(Fonte de informação: The Best Guide)
.
DESERTAS
.
Perdida nas visões de encantamento
A alma, deslumbrada por miragens,
Vagueia, num encontro de momento,
Na breve silhueta das Selvagens.
.
São tantas as belezas descobertas,
Que a mão da Natureza aqui gravou,
Que, mesmo nas chamadas de Desertas,
Algumas das belezas lá deixou.
.
E o homem, predador ambiental,
Ciente do seu próprio desatino,
Cuidou de acautelar um mau destino.
.
Chamando-lhes 'Reserva Natural'
Defende o equilíbrio dessas ilhas,
Mas priva-se das suas maravilhas.
.
Vítor Cintra
No livro: RELANCES

12 Comentários::

At 23/9/06 1:41 da manhã, Anonymous Jéssica said...

Oi, seu blog é muito interessante. A forma como vc expressa sua opinião é muito diferente e original. Muito bom! Depois se puder passa lá no meu. BJs!

 
At 23/9/06 11:33 da manhã, Anonymous soslayo said...

Vítor Cintra:

Mais um contributo imprescindível de um cidadão como tu (desculpa-me o tu!) que sendo um Bom português, não descora nenhuma das parcelas do território nacional! E da maneira mais sublime, ou seja, fazendo-o através da poesia, descrevendo tal qual se apresenta, as riquezas que são reconhecidas pelas organizações internacionais e menosprezadas pela grande maioria da população portuguesa ignorando-as. Lindíssimo terceto meu amigo. Um abraço.

 
At 23/9/06 3:05 da tarde, Blogger Valéria said...

Estando aqui conheço um pouco mais desse país belissimo que é Portugal,e ainda leio poemas lindos e sensiveis .
Se houvesse mais respeito pela natureza certamente nao nos privariamos de lugares tão belos .
Vitor, desejo um otimo final de smeana a vc e aos seus .
abraços .

 
At 23/9/06 4:45 da tarde, Blogger Papoila said...

Infelizmente só em "reservas" se pode manter esse habitat e mesmo nessas reservas por vezes as espécies estão em risco pelo espaço ser cada vez menor.
As desertas constituem um verdadeiro santuário e em território nacional.
Beijo

 
At 23/9/06 9:37 da tarde, Blogger tb said...

pois é, a falta de compreensão do homem n orespeito pela natureza da qual faz parte integrante...
Mais um poema bem feito e de grande sensibilidade no olhar de quem vê.
Jinhos

 
At 24/9/06 11:29 da manhã, Blogger Luna said...

O que dizes é tão real, algo que podia ser de todos, "a natureza", no entanto, destrumos tudo á nossa volta e acabamos privados da beleza matuaral e simples da vida.
Como sempre , belo, como só tu sabes fazer
beijinhos

 
At 25/9/06 4:16 da manhã, Anonymous Hilda said...

Privar-se das maravilhas mas preservar a natureza é a maior demonstração de amor pátrio e amor às gerações futuras. E só um espírito que sente verdadeiramente, isso pode transformar em poesia esse sentir... parabéns JV.

 
At 25/9/06 9:17 da manhã, Anonymous Secreta said...

"E o homem, predador ambiental" ... nada mais acertado poderia ser dito!
Beijito.

 
At 26/9/06 12:41 da manhã, Blogger BlueShell said...

Hummmmm....

Para que a noite te traga sonhos de Luz e Pingos de Estrelas
Um beijo azul
BShell

 
At 28/9/06 12:54 da manhã, Blogger Saramar said...

Vitor, seu talento poético é impressionante, principalmente para mim que inicio na difícil luta com as palavras.

Admiro-o muito.

Quanto ao tema, penso que as "Desertas" estão muito bem sem a presença do destruidor-mor.

beijo

 
At 7/10/06 1:24 da tarde, Blogger Emilia said...

Cheguei aqui pelo Soslayo, conterrâneo e amigo. Aportei às Desertas porque as tenho aqui na frente, deslisei depois por muitos outros dos seus poemas.Fiquei com a sensação de que a poesia 'sai' de si com tanta naturalidade como a respiração.Parece estar atento a tudo e tudo lhe toca a sensibilidade.Não tinha encontrado ainda, vagueando pela blogosfera, um blogue tão inspirado,com poemas e imagens tão bonitos.Muitos parabéns.E com música, ainda o enlevo é maior...
Voltarei.

 
At 7/10/06 4:12 da tarde, Blogger Um Poema said...

Emília,
Obrigado pelas palavras simpáticas.
Será sempre bem-vinda.
Um abraço

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home