sábado, maio 12, 2007

MONTEMOR-O-VELHO - Sentinela do Mondego


Tem a fama de ser um dos mais antigos povoados da Península Ibérica, mas não se sabe quando foi fundado. Diz a lenda, que terá sido cerca de 1900 anos a.C. por Brigo, rei lendário das Espanhas. Há quem diga, porém, que foi apenas 400 ou 500 anos a.C., com o nome galaico-céltico «Micóbriga».

Embora não se tenham encontrado vestígios a confirmá-lo, não seria improvável porém que ali, num qualquer outeiro sobranceiro à planície fértil e ao rio, então navegável por embarcações marítimas, tivesse existido alguma fortificação da Idade do Cobre.

Dada a sua posição estratégica, Montemor foi, no decorrer de séculos, alvo de cobiça e disputa.

Durante o domínio muçulmano chamava-se «Munt Malur», em 1091 passou a denominar-se «Montemaior». Em 1212 ao nome de «Mons Maiores» ou «Montis Maioris», como então se chamava, adicionou-se "o-Velho", quando D. Sancho I reconstruiu Montemor-o-Novo. Também conheceu a denominação de «Montemor sobre o Mondego».

Montemor foi berço de homens ilustres, cujos nomes a História guarda. Entre eles conta-se o de Pero Vaz de Caminha, que acompanhou Pedro Alvares Cabral e escreveu a D. Manuel I "a carta" relatando a descoberta do Brasil.


M O N T E M O R

Encontra-te Coimbra, quando importa
Tomar o rumo certo da Figueira,
Cidades dum Mondego, que transporta
Fartura, feita grão, que tens na eira.

Há filhos teus, ilustres, que no tempo
Gravaram, nos combates com valor,
Nas letras e viagens com talento,
A ouro esse teu nome "Montemor".

É muita a importância que, de antanho,
É dada à imponência do castelo
Por quem por perto passa e pode vê-lo.

E muito do respeito - e é tamanho -
Que sobra nas ameias das muralhas,
Foi ganho no aceso das batalhas.

Vítor Cintra
No livro: CONTRASTES

16 Comentários::

At 12/5/07 5:14 da manhã, Anonymous hilda said...

Gostei da foto e da História de Montemor-O-Velho e me enterneci, mais uma vez, pelo amor que você J. Vitor, demonstra pela tua Pátria.

Bom final de semana, beijo

 
At 12/5/07 9:56 da manhã, Blogger soslayo said...

Um Poema - Vítor Cintra:

E preciso eu, cada vez mais, recordar a nossa história mesmo aqui perto do Mar. E vou passando, e com ela vou ficando, enriquecido pelo saber, das nossa história passada que é necessário nunca esquecer! Belo soneto. Um abraço.

 
At 12/5/07 4:06 da tarde, Blogger Graça Pires said...

Interessante este seu espaço, Vitor, que nos faz passear pelo país. Montemor-o-Velho, o Mondego, a Figueira, evocados no soneto, tudo me transporta à minha infância, pois eu sou da F. da Foz. Obrigada por este momento. Uma braço.

 
At 12/5/07 4:11 da tarde, Blogger Ana S. said...

Olá Vítor.
É sempre bom vir aqui descobrir um pouco mais da nossa história.
uma terra tão antiga merece a devida homenagem.
beijos

 
At 13/5/07 4:47 da tarde, Blogger foryou said...

Uma terra bonita (como bonitas são as fotos ali no teu outro espaço), o nosso país está cheio de sitios lindissimos que é pena, às vezes, não serem mais divulgados e conservados.

 
At 13/5/07 8:51 da tarde, Blogger Rosa Silvestre said...

Olá Vitor, mais uma visualização de uma terra linda, hospitaleira evocada em sonetos.
Lindo! Bom fim-de-semana!bjinhos.

 
At 13/5/07 8:54 da tarde, Blogger Odele Souza said...

Vítor,
Uma foto com aparência de "cartão postal" de tão bonita, acompanhada de um texto rico de informações históricas, fazem valer cada minuto passado diante desta tua página. Um abraço.

 
At 13/5/07 11:10 da tarde, Blogger Entre linhas said...

Uma fotografia como cartão de visita de uma zona riquíssima em património cultural.

Bom inicio de semana
Bjs Zita

 
At 14/5/07 10:46 da manhã, Blogger Isabel-F. said...

Sentinela do Mondego: muito bem visto.
gostei imenso

bjs e boa semana

 
At 14/5/07 11:54 da manhã, Blogger leituras said...

Montemor, grande na sua história, importante ao longo dos tempos mas sempre subalternizada.
Bela na imponência do seu castelo, cativante na hospitalidade simples das suas gentes.

Boa semana

 
At 14/5/07 4:00 da tarde, Blogger Vera said...

Meu amigo, adorei a foto!
Mais uma aula da nossa história! É sempre um prazer ler-te e aprender tanto contigo! O soneto, como sempre, lindíssimo!

Beijinhos

 
At 14/5/07 4:38 da tarde, Blogger Sandokan said...

Esta noite, o luar
é um corpo branco de mulher
no azul do ar,
reclinado,
roçando a fronte do poeta
eternamente dos céus enamorado.

Mas eu sou teu Amigo,
companheiro de
longas caminhadas.
Amigo
que não esquece a estrada,
porque ela é
uma doença romântica,
um assunto do coração,
uma metáfora da vida.
Anda, vem caminhar comigo
indiferente
a esta mais longa e
violenta caminhada,
porque terás sempre
a minha
SOLIDARIEDADE

*

Vem comigo, então, ao
http://lusoprosecontras.blogspot.com

 
At 14/5/07 6:40 da tarde, Anonymous collybry said...

Recordar é viver,assim foi neste bocado de história acompanhado de bela foto e poema...meu beijito

 
At 14/5/07 9:09 da tarde, Blogger antónio paiva said...

...............
Amigo,

Obrigado por mais este pedaço de lugares que me ajudaram a fazer homem.

Imagem e poema magníficos!

(já te enviei mail, necessito de uma resposta tua a uma pequena questão que lá coloquei)

.......................

Abraço e noite serena

 
At 15/5/07 11:08 da tarde, Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Vítor,
Quem vai de Coimbra para a Figueira de repente fica deslumbrado com a lindíssima visão de Montemor-o-velho, e o seu castelo, mas mais ainda se tiver a oportunidade de ter essa visão nocturna.
Abraço.

 
At 16/5/07 12:09 da tarde, Blogger MRelvas said...

Olá Vitor, este misto de "um poema" com "a fotografia" está muito bonito e acima de tudo tem um carácter muito didáctico, levando a história e a geografia de Portugal de encontro aos teus magníficos versos!

Abraços

MR

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home