domingo, setembro 30, 2007

DEPOIS DE MIM... A DESGRAÇA

(desenho recolhido na net)

Os políticos são, de facto, surpreendentes. Quer seja pela arrogância, ou pela imbecilidade, seja pelo descaramento, ou pela incompetência, ou pela capacidade de se julgarem donos exclusivos da verdade, são caricatamente surpreendentes.
É tão tacanha a visão que alguns têm, deles próprios e dos outros que chega a ser anedótica. Recordo que - já lá vão uns anitos - um certo "crâneo" político da nossa praça, tão magro de ideias quanto anafado de físico, definiu Fidel Castro, como sendo um "dinossauro da política" por ser incapaz de reconhecer que o seu tempo havia passado.
Quase me apetece dizer que foi talvez das poucas coisas acertadas que lhe ouvi dizer.
Por isso é que hoje, ao ler o Diário Digital, quase soltei uma gargalhada.

Políticos!

Nunca encobri a minha pouca simpatia por essa parasítica fauna, qualquer que seja o quadrante em que se situe, ou a bandeira que agite. E isto porque entendo, sempre entendi, que gente séria, porque tem que trabalhar, não tem tempo para política. Ainda assim, não deixa de ser interessante e elucidativo perceber a "preocupação" que ensombra o presente "jurássico (?)"


D E M O C R A T A
.
Chamou-se a si "democrata".
Democrata?!... Quem diria!
O que é preciso é ter lata,
Que importa a democracia!

Vivendo como nababo,
Sem nunca ter feito nada,
Transformou o seu "reinado"
Numa viagem pegada.

E este povo, que é cego,
Foi-lhe alimentando o ego,
Embalado na conversa,

Enquanto, e à descarada,
Sua excelência engordava
Duma maneira perversa.

Vítor Cintra
No livro: DISPERSOS

11 Comentários::

At 1/10/07 7:12 da tarde, Blogger Bruxinhachellot said...

Incrível as semelhanças governamentais entre Portugal e Brasil. Sua poesia cai muito bem na no Planalto de Brasília.

Beijos espirais.

 
At 2/10/07 4:38 da manhã, Blogger Odele Souza said...

Concordo com o comentário acima. Os políticos de lá, são os mesmos de cá. E é mesmo uma pena que o povo vá lhes alimentando o ego.
Excelente texto e poema.
Um abraço.

 
At 2/10/07 7:08 da tarde, Blogger Ana S. said...

Políticos... são todos iguais independentemente da bandeira.
Beijos

 
At 2/10/07 11:50 da tarde, Blogger Fernanda e Poemas said...

Olá, grata pela sua visita ao meu cantinho!
Adorei o texto e poema. Uma realidade muito presente na nossa classe política.
Boa noite.Beijinhos!
Fernandinha

 
At 3/10/07 12:12 da manhã, Blogger Fernanda e Poemas said...

Um abraço também Vitor, vir contigo é um previlégio.
Beijinhos!
Fernandinha

 
At 3/10/07 10:11 da tarde, Blogger Papoila said...

Este poema est� fant�stico. Quando ouvi as declara�es por ele pr�prio n�o consegui deixar de gargalhar :)
Beijos

 
At 4/10/07 4:25 da manhã, Blogger Fernanda e Poemas said...

Como não há novidades por aqui deixo-te um beijo na mesma.
Boa noite Vítor
Fernandinha

 
At 4/10/07 10:50 da manhã, Blogger Vera said...

Realmente pessoas honestas não me metem em política...
Belíssimo texto!
Quanto ao poema... sempre magnífico!!

Beijinhos

 
At 5/10/07 5:23 da tarde, Blogger Rosa Silvestre said...

Já concordo com a Vera, o poema é fantástico!!!!

 
At 5/10/07 5:24 da tarde, Blogger Rosa Silvestre said...

O desenho não lhe fica atrás (risos). Bjinhos.

 
At 9/10/07 2:11 da tarde, Blogger Mário Relvas said...

Os iluminados

Que fazer nos dias de hoje perante a crise de valores que afecta a sociedade? Hoje mais do que nunca se nos depara esta pergunta. A sociedade é um circo onde o mediatismo e o falar "bem" sugere um boa prática, mas não é verdade. Encontramos hoje em quem está no cumprimento de tarefas "públicas", um palavreado quase circense. Fala-se muito, mas pouco se faz devidamente. Quem pugna pela verdade, quem luta por direitos, quem denuncia civicamente actos dúbios é apelidado de contra e logo é taxado com algum partido, ou opção de vida menos clara, ou saudável. Tudo tem que ser unânime em bênção de uma política selvagem que nos traz constantemente interrogações sobre a conduta dos "servidores públicos".

Quem diz de sua justiça, imbuído de boas intenções, tentando contribuir para a melhoria do grupo/sociedade é visto como um ser amaldiçoado e atiçam-lhes os "cães", pagos com o nosso contributo fiscal. Tudo isto para vos dizer que não claudicarei, que não pararei de ao abrigo desta Constituição da República, "por enquanto", em elevar a minha voz incómoda para os incapazes e facilitistas, mas de esperança para quem vê frustrados os seus Direitos Constitucionais e Humanos.

Portugal vai mal. Caminha sem sentido. Só uns iluminados discordam.Temos que lhes trazer a luz caros amigos ou nem por isso, contem com a minha voz na Defesa dos Direitos das pessoas Diferentes. Quem algum dia pensou que me podia comprar, já há muito que sentiu desânimo e até se calhar terá problemas depressivos. Felizmente não somos todos iguais e uma coisa que aprendi ao longo da vida, é que devemos ser felizes com aquilo que temos e andar de cabeça bem levantada.

Assim continuarei enquanto Deus me der forças, neste país de iluminados agnósticos ou maçónicos que gostaria de respeitar, se eles respeitassem as opções dos outros.

Abraço Victor,temos andado desencontrados, mas compôe-se.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home