quarta-feira, outubro 10, 2007

HELP DARFUR



...............

C A T Á S T R O F E

Nascidos sem qualquer preparação,
Só tendo, como grande, a ambição,
Acharam ter nas armas solução
P'ra a sua mesquinhez e prepotência;
Cuidando ser chegada a sua hora,
Lançaram-se na guerra, sem demora,
Suprindo na caixinha de Pandora,
A falta de moral e consciência.

Aquele que os armou, sem mais tardança,
Sedento de lançar insegurança,
Ordena que se lancem na matança
Com toda a crueldade e violência.
Movidos por instintos primitivos
Tornaram-se assassinos compulsivos
- Nem mesmo os seus irmãos deixando vivos -,
Com actos sem sentido, de demência.

A guerra, resumida a tanta dor,
Tragédia, muita fome, tanto horror,
Não cessa, nem à voz do seu senhor,
Sem ver justificada a persistência.
Fazer dos assassinos governantes
Não torna mais decentes os tratantes.
As mortes, sendo mais do que eram dantes,
Demonstram a moral da dissidência.

Vítor Cintra

No livro: VERTIGEM

13 Comentários::

At 11/10/07 12:25 da manhã, Blogger leituras said...

Impressionante!
Dolorosamente revoltante!

Um belíssimo poema a emoldurar o vídeo.

Boa semana

 
At 11/10/07 12:29 da manhã, Blogger Fernanda e Poemas said...

Querido Vítor,grata pela tua visita,
e dizer-te bem-hajas pelas tuas palavras carinhosas.
O teu texto ou poema é triste mas é infelizmente uma realidade.
Muitos beijinhos do fundo da minha alma.
Fernandinha

 
At 11/10/07 1:02 da manhã, Blogger sveronica said...

Que podemos contra a guerra, se ela é mais forte que a Paz? A guerra está no homem pelo simples prazer de dominar. Será que já houve um tempo de Paz? A guerra levanta armas que movimentam milhões e enriquece um poucos, enquanto a maioria se enfraquece, quando deveria ser o contrário. São poucos os donos da guerra e tantos o que buscam a Paz, mas ainda não são donos dela...

Querido, obrigada pela visita. Quanto ao fotógrafo, continuo esperando que ele venha. Promisses...

tem uma noite linda!

Beijinhos

Menina do Rio

 
At 11/10/07 4:22 da tarde, Blogger Vera said...

O vídeo é revoltante...
Gostei imenso do teu poema. Ilustra sabiamente o vídeo, que mostra um terror infelizmente verdadeiro.

"Movidos por instintos primitivos
Tornaram-se assassinos compulsivos
- Nem mesmo os seus irmãos deixando vivos -,
Com actos sem sentido, de demência."

Está tudo dito...
E realmente, que fazemos nós para ajudar?

Beijinhos

 
At 11/10/07 7:28 da tarde, Blogger Bruxinhachellot said...

A guerra não é um mal necessário, como dizem por aí, pois não há vencedores e os mais prejudicados são o povo. Essa coisa de direitos humanos é só pra quem pode, porque quem necessita não tem seus direitos preservados.
A luta de poderes, e é aí que está a questão, não mede esforços nem conseqüências para atingir seus objetivos. O que poderia ser realizado num acordo de benefícios entre ambas as partes, se transforma num egoísmo sem fim onde cada um quer ser melhor que o outro aos olhos do mundo. Mundo este que assiste a tudo de olhos arregalados e braços cruzados. A extinção humana não vai tardar a acontecer.

Beijos entrelaçados.

 
At 13/10/07 12:21 da manhã, Blogger elsa nyny said...

Que poema t�o verdadeiro!
Parab�ns por GRIATRES ao mundo DARFUR!

Entretanto h� um novo desafio Por Darfur, vem ver se queres colaborar!

Beijinhos!

 
At 13/10/07 2:44 da manhã, Blogger Odele Souza said...

Vítor,
CATÁSTROFE é o termo para o que está acontecendo em Darfur. Quanta dor e horror. Quando é que quem tem poder para mudar essa situação vai agir? Enquanto isto, façamos nossa parte. Como disse o Dalai Lama em um vídeo, é preciso que se use todos os meios de comunicação para divulgar o que está acontecendo em Darfur, pois a ele parece que essa parte do mundo está esquecida.

Os blogs têm demonstrado ser uma ferramenta poderosa para denunciar injustiças e atrocidades. Vamos então usar este recurso tão intensamente quanto possível.

Um abraço meu amigo. Bom fim de semana.

 
At 13/10/07 2:19 da tarde, Blogger Rosa Silvestre said...

Olá Vítor, faço minhas as palavras da Odele,acrescentando que, no mundo existem, infelizmente, muitos Darfus.... e isso não é preciso que o Dalai Lama nos diga.....infelizmente.

 
At 13/10/07 11:28 da tarde, Blogger Å®t Øf £övë said...

Vítor,
Sobre este tipo de tragédias pouco há a dizer.
Elas deixam a nú toda a hipocrisia do ser humano, principalmente daqueles que estão em lugares de decisão. Tanto dinheiro há para sustentar as guerras, e depois para aquilo em que ele faz mais falta refugiamo-nos a inevitabilidade.
Quando penso e abordo seriamente este tipo de situações, revolto-me e sinto vergonha por pertencer a esta nossa sociedade mesquinha.
Continuação de bom fds.
Abraço.

 
At 15/10/07 12:43 da tarde, Blogger Papoila said...

Catástrofe, é o termo para o que acontece em Darfur.
Um Poema que lança um grito de POR DARFUR!
Beijos

 
At 15/10/07 9:01 da tarde, Blogger foryou said...

Porque a guerra nunca é boa opção nem nunca tem vencedores :(

 
At 16/10/07 1:25 da tarde, Blogger Isabel-F. said...

o teu poema é maravilhoso ...
arrepiante ...
fiquei com "pele de galinha"...

beijinhos

 
At 20/10/07 11:19 da tarde, Blogger Mário Relvas said...

Fantástico Victor.

Um poema de vez em quando...Maravilha!

Sabes, se não te importares vou postá-lo no Aromas!!

Um abraço sentido

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home