segunda-feira, novembro 12, 2007

Quando a gula fala...

(imagem recolhida na internet)

.
Correu mundo a reacção de indignação do rei de Espanha, no Chile, insurgindo-se contra a repetida e injuriosa acusação de Hugo Chaves a José Maria Asnar.
É conhecida a afabilidade e correcção de D. Juan Carlos. Como também é sobejamente conhecida a impertinência e arrogância do sr. Chaves.
Independentemente das simpatias, há que convir que injuriar quem não está presente e não se pode defender é, em qualquer tempo e circunstância, de uma falta de ética sem tamanho.
Convenhamos também que usar um areópago internacional para - ao invés de se preocupar em contribuir para a procura de soluções que amenizem as muitas carências que afligem o seu próprio país - vir dar largas à sua mesqinhez e frustração, revela uma limitada mentalidade de soalheiro.
Porém, por cá há quem venha a terreiro bradar contra o rei de Espanha. Se bem que,
vindo de quem vem, somos levados a perguntar se o peso do subsolo venezuelano não acabará por despenhar algum avião, como sucedeu com o peso do subsolo das Lundas.
.
M E S Q U I N H E Z
.
Anda a "máscara do siso"
À procura de razão
P'ra chagar o meu juízo,
Ou dos outros que cá estão.
E - sem ser por brincadeira -
Vai achar uma maneira.
.
Mas, se alguém quer apostar
- Não importa o que se aposte -
Que uma bronca vai 'stoirar,
Quer se goste ou se não goste,
Pois que o faça. Na certeza
Da razão ser de pobreza.

De pobreza d'argumento
Ou motivo, se invocado,
Sem qualquer descernimento
Entre o certo e o errado.
Tem que haver é discussão,
Pouco importa ter razão.
Vítor Cintra
No livro: CONTRASTES

9 Comentários::

At 13/11/07 2:58 da tarde, Anonymous Mário said...

Vitor, vim especialmente agradecer a sua visita e comentário lá no APOIO FRATERNO. Muito Obrigado. Aproveitei para conhecer o seu excelente blogue e encantar-me com o seu talento.

 
At 14/11/07 11:14 da manhã, Blogger Mário Relvas said...

Concordo em pleno com este teu texto.

Cháves é um utópico e um dia será julgado pelos crimes que comete "em nome da sua democracia" -ditadura!

Abraço

 
At 15/11/07 10:31 da tarde, Blogger Sol da meia noite said...

Realmente a cena foi lamentável.
Em geral, só quando há falta de argumento, se envereda pelo caminho da discussão... que na circunstância, teve a consequência que se sabe.
E o teu poema diz tudo.
Beijinho

 
At 16/11/07 2:49 da tarde, Blogger Vera said...

Vindo de quem vem... mesmo assim fiquei admirada, confesso! O "Juniorzinho" bem podia ter mais tento na língua, já que o seu papá sempre defendeu tanto a democracia...
O Rei de Espanha é um Senhor. Foi certamente necessário estar muito "cheio" para mandar calar o ditador, perdão... o sr. Hugo Chavez, que ultrapassou (não ultrapassa sempre?) todos os limites da educação e bom senso.

Quanto ao teu poema Vítor... perfeito como sempre! Digno de mestre (o mestre que tu és).

Beijo grande

 
At 17/11/07 12:11 da manhã, Blogger Alexandre said...

Chávez fala assim porque a Venezuela tem muito petróleo - de outro modo, nem abriria a boca...

Um abraço!!!

 
At 17/11/07 2:53 da manhã, Blogger Fernanda e Poemas said...

Olá Vitor, belo poema como sempre.
Adoro a sua poesia.
Beijinhos,
Fernandinha

 
At 18/11/07 2:42 da manhã, Blogger Rose said...

olá Victor...

saudades...

como sempre um ótimo texto...

mas intfelizmente este Sr. anda a América fazendo e falando bobagens... lastimável, no mínimo.

beijos

 
At 18/11/07 6:54 da tarde, Blogger Odele Souza said...

Vítor,
Os teus poemas e textos, como sempre inteligentes nos levam a refletir, e fazem do tempo que aqui passamos, um momento de prazer.

Um abraço forte e carinhoso.
PS. Obrigada por "viajares" até o Brasil e pelo comentário lá no Apoio Fratermo, um blog brasileiro realmente muito bom.

 
At 23/11/07 10:57 da tarde, Blogger Å®t Øf £övë said...

Vítor,
O João Soares, como a maioria dos politicos do nosso país, também haviam de ouvir de todo o povo um basta, e um porque não se calam. Parecem papagaios.
Bom fds.
Abraço.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home