quarta-feira, outubro 22, 2008

BANGUI - República Centro Africana

(imagem recolhida na net)
Bangui, nas margens do rio Ubangui, vive hoje na solidão da floresta equatorial, fora das rotas do mundo e de costas para o progresso, de que a "independência" a divorciou.
Vindos de Cabinda, os portugueses subiram o rio Congo e depois o Ubangui e chegaram à República Centro Africana, cerca dos anos trinta do século XX. Tornaram-se grandes comerciantes, madeireiros, fazendeiros de café.
Em consequência da insegurança que a "independência" gerou, também eles foram partindo, restando apenas algumas, poucas, famílias tentando encontrar coragem para dizerem adeus.
Antes dos portugueses, haviam chegado os árabes do Sudão, na segunda metade do século XIX. Levaram praticamente todos os habitantes do Leste, como escravos. O território do Leste, cerca de três vezes maior do que Portugal, tornou-se, e permanece ainda até hoje, terra de bichos, de floresta e santuário de um ou outro grupo rebelde nacional, do Chade, do Sudão, do Congo ou mesmo do Uganda.
Outros chegaram depois dos árabes e antes dos portugueses. Contudo, da sua passagem poucos vestígios restam já.
Hoje já quase ninguém visita Bangui. O país como que desapareceu, meio perdido no centro de África e a sua capital está já classificada como uma das piores urbes do planeta.
(Fonte de informação: Victor Ângelo - Vice-Secretário-Geral da ONU)
.
A P E L O
.
Ó tu, deusa maior da lusa gente,
Que, nas histórias vivas do passado,
Osaste, com olhar mais indulgente,
Deixar-nos ver da terra um outro lado;
.
Ó tu, Moira seráfica, sem tempo,
Chegada à Lusitânia noutra era,
Que deste aos portugueses mor alento,
Capaz de derrotar qualquer Quimera;
.
A nós, que somos filhos desse povo
A quem, por protecção de Juno e Marte,
Deixaste que chegasse a toda a parte,
.
Tecida a nossa vida em fio novo,
Demonstra que a coragem doutros tempos
Apenas nos deixou por uns momentos.
.
Vítor Cintra
No livro: DESABAFOS

8 Comentários::

At 22/10/08 9:14 da manhã, Blogger Teresa Durães said...

uma excelente crónica

 
At 23/10/08 12:05 da manhã, Blogger Ana Martins said...

Excelente soneto, bela homenagem aos nossos antepassados.

Beijinhos

 
At 23/10/08 7:10 da tarde, Blogger antónio paiva said...

...

bom Amigo,

é o mundo devoluto a alastrar.

excelente o soneto.

um grande abraço.

 
At 24/10/08 9:42 da manhã, Blogger A Luz A Sombra said...

Fomos grandes em descobrir caminhos e hoje nem o caminhos para a estabelidade do nosso País encontramos.
O passado é o passado o presente não me agrada, o futuro... como será o futuro?
Bom fim de semana
A Luz A Sombra

 
At 24/10/08 11:48 da tarde, Blogger Odele Souza said...

Passando para te ler amigo.
E me encantar com teus sonetos com os quais muito aprendo.

Um abraço.

 
At 24/10/08 11:48 da tarde, Blogger Odele Souza said...

Passando para te ler amigo.
E me encantar com teus sonetos com os quais muito aprendo.

Um abraço.

 
At 24/10/08 11:48 da tarde, Blogger Odele Souza said...

Passando para te ler amigo.
E me encantar com teus sonetos com os quais muito aprendo.

Um abraço.

 
At 26/10/08 2:16 da tarde, Blogger tulipa said...

ÁFRICA, minha adorável terra, cada vez mais esquecida no Mundo.

Convido-te a vires comigo até ao Porto, visitar um dos ex-libris da cidade Invicta.
Como conhecedor e apreciador de fotografia, aproveitas e dás-me a tua opinião sobre as minhas fotos, pode ser?

Recebe pétalas de tulipa impregnadas de abraços.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home